Night Shot

 

Night Shot surge a partir de um processo de investigação sobre a relação homem/paisagem. Os locais escolhidos para realização da série foram fotografados diversas vezes ao longo de vários meses, aqui procurou-se entender de que maneira estes objetos abandonados interferem e sofrem interferência da paisagem. Inicialmente estes objectos são corpos perfeitamente estranhos ao ambiente, mas aos poucos começam a ser integrados. Começam a surgir as primeiras plantas em torno destas “esculturas”, até que eventualmente acabam por desaparecer ao final de um longo período de tempo.

Estas imagens são capturadas com câmara técnica de médio formato, utilizando sempre filme positivo analógico. Este processo garante uma riqueza de detalhes no produto final, traduz também a densidade da experiência do contacto prolongado com estes lugares em suspensão temporal, deslocados do mundo corrente, existindo numa outra velocidade. A iluminação é sempre cuidadosamente controlada e estudada, a mesma luz que revela o objeto também o omite, leva o espectador a “imaginar o que esta por trás, o que há no vazio”.

Existe muito pouca interferência do artista entre o momento da captura de imagem e o processo de impressão. A imagem é editada no espaço durante o longo processo de visitas, através da transformação do próprio lugar e de pequenas interferências do artista. Apenas uma imagem de cada um destes lugares é exposta, a busca por esta última imagem é o elemento que gera e orienta todo o processo.

A série Night Shot é composta por 8 imagens 100x150cm. Esta série foi produzida em Portugal entre os anos 2007 e 2008 e exposta no âmbito dos prémios Anteciparte 2008 (prémio português para jovens artistas) e o Descubrimientos 2009 (evento do Photoespaña em Madrid).